As mães com suas filhas

Posted: terça-feira, 27 de outubro de 2009 by O Blog dos Poetas Vivos in Marcadores:
4


Eu vi as mães com suas filhas quando moças
e as moças me mostraram
o retrato
de suas mães quando moças
com elas bebês em seus braços
- de mães moças
que carregam no fôlego do ventre
tanta vida e tantas cores,
tantos ares como um fardo

Eu vi as moças com suas mães envelhecerem
e as cores amarelarem
e os ares acinzentarem
mas o retrato continua o retrato
das mães quando moças
com seus bebês nos braços

E vi as moças e seus bebês e sua mães
e sei que um dia ainda verei
os bebês com seus novos bebês
e retratos

E as mães com seus corpos de aço
com seus filhos crescidos, criados
criarão também rugas de tédio
talento e cansaço
findará – se o ciclo de seus ovários
os seios se secarão
mas restará o legado

tudo se evapora, dissolve na vida
menos o retrato
das mães quando moças
com suas filhas nos braços.

4 comentários:

  1. Muito bonita a poesia e a idéia de que a despeito das voltas que o mundo dá, as características das mães e moças perduram. Tenho muito que aprender com o André e com você. Depois volto aqui. Abraços, até! =)

  1. Djenal says:

    Vocês são feras mesmo! Parabéns!

  1. - Jogos de espelho em infindáveis ciclos matriarcais -

    Eterno retorno do Útero

    (mãefilhavóneta

    bismãebisvóbisfilha

    netavófilhamãe)

    Über-Mutter:
    arquétipos vestais
    de
    Mnemosines Invictas!

  1. says:

    (...)das mães quando moças(...).
    Bela imagem esta! Belo blog também!

expresse algo!