Prece ao prédio

Posted: domingo, 25 de janeiro de 2009 by O Blog dos Poetas Vivos in Marcadores:
1

Oh prédio, arquitetônica expressão
composta, entre outras coisas, de cimento.
Carrega na cabeça o firmamento
enquanto, sob os pés, espreme o chão

No esôfago comporta um elevador
que leva e traz, com mais facilidade,
O sumo sugado da humanidade.
Suor salgado, filho do labor.

Permita a mim que eu fique do outro lado,
eu rogo a ti, ilustre monumento
que fica erguido, em pé, porém, parado.

Engula-me também lá para dentro
Depois me cuspa privilegiado
Munido de gravata e sem lamento.

André Prosperi

1 comentários:

  1. E! says:

    Puxa, fiquei tocado pelos elogios! Obrigado mesmo, confesso que não esperava tanto cavalheirismo depois da troca de rispidez! Seu blog também é bem interessante, apesar de ser um outro estilo de literatura! O Brasil também padece de poesia, e as suas linhas são bem vindas! Seja você quem for (o André, o Roberto, o Emmanuel ou o Fabiano).
    Até mais!

expresse algo!